Gestão de Pessoas é supérfluo? Veja como a Arke diminuiu mais de 50% da rotatividade!



Dentro de uma empresa há números para todos os lados, por isso alguns podem passar despercebidos ou talvez não se tenha o real conhecimento de sua importância e do gasto que ele pode gerar. É o caso dos números do setor de RH, como por exemplo o turnover, o índice de rotatividade de profissionais na empresa.


O turnover pode impactar diretamente nas contas da empresa, principalmente se for época de crise, como a que estamos vivenciando. Como essa taxa mede o giro de contratação e demissão dos colaboradores, se o índice de saída for muito alto, se torna muito desgastante, pois a cada saída de um funcionário, normalmente, segue de uma nova admissão, e este giro cria um custo altíssimo.


Afinal, a cada nova contratação você investe tempo e dinheiro no processo de recrutamento, analisa candidatos e compara currículos até finalmente, escolher o melhor profissional para a vaga em questão. Depois de introduzi-lo aos processos da empresa, é preciso treiná-lo e desenvolver suas habilidades para que possa alcançar o índice de produtividade esperado. Então pense se depois de todo esse processo, o funcionário pede demissão sem ter completado seis meses de trabalho. Você voltará para o início do giro e terá que repetir o processo com um candidato diferente. Contratar é apenas o início do processo, reter e desenvolver equipe, além de ser mais barato é muito mais eficaz!


Entendeu como a alta rotatividade de funcionários interfere nos resultados da sua empresa? Todos esses fatores se tornam exponenciais se a ocorrência dessa rotatividade for constante, podendo impactar a médio e longo prazo na organização. Ou pior, você treina o funcionário para a empresa concorrente.


A Gestão de Pessoas é ainda supérflua no seu ponto de vista? Sua resposta é sim? Veja o ponto de vista de Letícia Becon Vargas, diretora da A3P: “Alta rotatividade implica na queda de confiança dos seus clientes, você sabia disso? Sua empresa força o cliente a se adaptar ao novo funcionário, sua mudança causa impactos além dos seus portões. A redução da produtividade também ocorrerá, pois o novo colaborador não vai desempenhar no curto espaço de tempo, as atividades com a eficiência esperada, e claro, sem falar na instabilidade na cultura organizacional, uma vez que é difícil confiar em uma empresa na qual ninguém permanece por muito tempo”.


A Arke, maior empresa de assadores do Brasil, localizada na Serra Gaúcha, começou a contar com o serviço de Gestão de Pessoas da A3P Empowering People em 2014, na busca por diminuir essa taxa e reduzir custos.


Dentre os inúmeros trabalhos desenvolvido pela A3P na Arke, destaca-se a criação da área de Recursos Humanos para atender cerca de 160 funcionários, resultando na melhora substancial dos indicadores da organização. A rotatividade da empresa passou de 7,9 em 2013, para 3,72 em 2015, ou seja, 53% de melhora. “A assessoria da A3P foi fundamental para a Arke. Se não fosse este trabalho, provavelmente não estaríamos nem na metade do processo de implementação da área de Recursos Humanos, ou seja, a A3P ajudou a acelerar o processo e os ganhos vieram mais rápidos,” comparou Denise Lorenz, Recursos Humanos da Arke.


Se a sua empresa também deseja diminuir os gastos com a rotatividade, assim como ocorreu na Arke, a A3P Empowering People está à disposição para auxiliar neste processo, assim como nos demais serviços de Gestão de Pessoas que uma empresa necessita. Agende um horário para conhecer mais sobre este trabalho.


Leia mais:

Como uma empresa pode fazer seu funcionário ser mais eficaz?

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags

© 2016 by agenciaplanob.com